QUESTÕES

Total de questões encontradas: 30


  • Q190695
  • FCC
  • 2017
  • DPE-RS-Técnico - Segurança do Trabalho

Um auxiliar de limpeza sofreu acidente com apenas 2 meses de experiência. Ele estava limpado uma prensa de compactação de pós metálicos, colocando a mão direita na zona de prensagem com a máquina ligada, mas não estava em funcionamento, sofrendo amputação dos quirodáctilos distais, 3ª falange dos dedos da mão: indicador, médio e anular. Na análise e investigação do acidente, embasado em Normas Técnicas Brasileira, as causas que contribuíram para ocorrência deste acidente foram pontuadas como:

 

I. Falta de experiência.

II. Usar equipamento de maneira imprópria ou manusear objeto de maneira errada.

III. Deixar de desligar equipamento que não esteja sendo usado.

IV. Usar mão em vez de ferramenta para limpar ou consertar.

 

Os tipos de causas dos fatores associados a esse acidente são, correta e respectivamente,

  • Q190696
  • FCC
  • 2017
  • DPE-RS-Técnico - Segurança do Trabalho

Em uma indústria química fabricante de cloro, um assistente de manutenção de tubulação hidráulica exigiu da empresa o adicional de insalubridade. Ao avaliar as condições do ambiente de trabalho do assistente, verificou-se que ele fica exposto durante 3 horas a 1 ppm no setor A e 5 horas a 0,6 ppm no setor B.  

 

                

 

A partir das informações acima e para efeitos de insalubridade, é correto afirmar:

  • Q190697
  • FCC
  • 2017
  • DPE-RS-Técnico - Segurança do Trabalho

Um trabalhador realiza sua atividade em uma cozinha industrial entre o fogão e bancada de preparação, ele prepara os pratos de comida na hora do almoço, em 15 minutos, e fica, em seguida, em pé de frente ao forno por 5 minutos, mexendo o alimento para não queimar. Este procedimento é repetido em toda a sua jornada de trabalho. As condições térmicas do ambiente de trabalho foram avaliadas conforme procedimentos definidos pela Norma Regulamentadora 15 − Operações e Atividades Insalubres. 

 

                

 

Analisando as informações relacionadas às condições do ambiente do trabalho, é correto afirmar que o IBUTG médio atingiu a temperatura de

  • Q190698
  • FCC
  • 2017
  • DPE-RS-Técnico - Segurança do Trabalho

Um dos integrantes do Serviço Especializado em Engenharia de Segurança em Medicina do Trabalho − SESMT solicitou à empresa uma avaliação da sua exposição ao ruído contínuo, conforme anexo 1 da NR-15. Ele fica exposto durante cinco horas a um nível de pressão sonora de 86 dB(A), no setor A, e depois trabalha no setor B, uma fresadora, expondo-se a um nível de pressão sonora de 89 dB(A). O regime de trabalho deste profissional é de 8 horas por dia. 

 

                  

 

Nestas condições, devem ser considerados os seus efeitos combinados, de forma que não exceda a unidade de exposição e não ultrapasse o limite de tolerância. O tempo máximo que o profissional da área da segurança do trabalho pode ficar exposto no setor B a 89 dB(A), sem ultrapassar o limite de tolerância é de aproximadamente

  • Q190699
  • FCC
  • 2017
  • DPE-RS-Técnico - Segurança do Trabalho
Um funcionário da empresa RS siderúrgica, responsável pelo controle da qualidade dos produtos metalúrgicos, utilizava a radiografia industrial (raio-x), como instrumento de trabalho diário, para identificar trincas nos produtos do processo de soldagem, trabalhando nesta função durante 10 anos. Nos seus últimos exames periódicos constatou a incidência de câncer no pulmão, em estágio avançado, tornando-o temporariamente incapaz para o trabalho. No caso deste funcionário exposto ao agente nocivo radiação ionizante, uma vez constatado em Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário − NTEP, a Lei n° 8.213/1991 da Previdência Social, garante para esse trabalhador o auxílio
  • Q190700
  • FCC
  • 2017
  • DPE-RS-Técnico - Segurança do Trabalho
Uma escola recém inaugurada tem população fixa de 50 funcionários, em um pavimento térreo. Exigiu-se em licença de funcionamento, a formação da brigada de incêndio. A escola está classificada como E1 − escola de primeiro, segundo e terceiro graus, incluindo cursos supletivos e pré-universitário, grau de risco alto, população fixa por pavimento ou compartimento até dez funcionários = 5 brigadistas. Conforme as disposições da NBR 14276, para fins de dimensionamento e dando maior ênfase à proteção e combate a sinistros e primeiros socorros, o número mínimo total de brigadistas nesta escola deverá se
  • Q190701
  • FCC
  • 2017
  • DPE-RS-Técnico - Segurança do Trabalho
Um técnico de segurança do trabalho analisava um documento que se referia a João, uma pessoa física que, mediante recebimento de salário, prestava serviço de natureza não eventual a um profissional liberal, de quem dependia para o exercício das atividades profissionais. No documento constava que João trabalhava em uma área de trabalho móvel e temporária, com atividades de apoio à demolição de uma obra. Neste contexto, João é considerado um
  • Q190702
  • FCC
  • 2017
  • DPE-RS-Técnico - Segurança do Trabalho
Carlos é empregado subordinado a Ricardo, um profissional liberal que paga salário a Carlos para o desenvolvimento de atividade não eventual, sob sua dependência e responsabilidade, em um canteiro de obra. Ricardo elabora e informa Carlos, por meio eletrônico, as ordens de serviço sobre segurança e saúde do trabalho. Carlos segue as disposições constantes nessas ordens de serviço e, inclusive, submete-se aos exames médicos determinados pelo SESMT contratado por Ricardo. Ricardo informa os resultados dos exames médicos de diagnóstico que Carlos foi submetido. Neste contexto,
  • Q190703
  • FCC
  • 2017
  • DPE-RS-Técnico - Segurança do Trabalho
O proprietário de um novo estabelecimento solicitou ao órgão regional do Ministério do Trabalho, antes do início de suas atividades, a aprovação de suas instalações. Porém, dada a impossibilidade de realizar a inspeção prévia antes do início das atividades do estabelecimento, o órgão regional do Ministério do Trabalho não emitiu o Certificado de Aprovação das Instalações − CAI. De acordo com as disposições da NR-2, a empresa poderá
  • Q190704
  • FCC
  • 2017
  • DPE-RS-Técnico - Segurança do Trabalho
Josué é empresário e contratou empregados para um serviço de engenharia caracterizado como reforma. A partir da constatação de uma situação de trabalho nessa reforma que poderia causar acidente com lesão grave à integridade física desses trabalhadores, foi adotada uma medida de urgência que implicou em paralisação parcial da execução desse serviço pelo prazo de 30 dias. Neste caso, ocorreu
  • Q190705
  • FCC
  • 2017
  • DPE-RS-Técnico - Segurança do Trabalho

Em um frigorífico de pequeno porte, com a média anual de 20 colaboradores e uma jornada de trabalho de 6 horas por dia, em 2016, ocorreram os seguintes casos:

 

1° caso − 1 ferimento leve que impede o funcionário de trabalhar por meio período.

2° caso − 1 afastamento por 13 dias.

3° caso − 1 afastamento por 17 dias.

4° caso − 2 acidentes sem afastamento.

5° caso − 1 acidente típico afastando o funcionário por 60 dias.

 

A empresa deve encaminhar os mapas com as avaliações anuais até 31 de janeiro, ao órgão do Ministério do Trabalho e Emprego − MTE, de acordo com a legislação vigente. 

 

       

 

Os valores a serem preenchidos no Quadro III − Acidente com Vítimas, para o Índice Relativo/Total de Empregados e para Dias/Homens perdidos, respectivamente, são:

  • Q190706
  • FCC
  • 2017
  • DPE-RS-Técnico - Segurança do Trabalho
Com relação ao Equipamento de Proteção Individual − EPI, é de responsabilidade do empregado
  • Q190707
  • FCC
  • 2017
  • DPE-RS-Técnico - Segurança do Trabalho

Um profissional da área da segurança do trabalho foi designado para dimensionar SESMT comum organizado para um condomínio industrial onde 4 empresas estão instaladas, em um terreno de 5.000 m2 de terreno, de diferentes empresários, estando previsto nas convenções ou acordos coletivos de trabalho das categorias envolvidas. 

 

 

Conforme a NR 4, considerando a opção do condomínio pelo SESMT único, este será composto da seguinte forma:

  • Q190708
  • FCC
  • 2017
  • DPE-RS-Técnico - Segurança do Trabalho
Uma empresa está enquadrada no grau de risco 2, conforme o quadro I da NR-4. Essa empresa tem 53 empregados. Em negociação coletiva foi estabelecida a desobrigação da empresa indicar médico coordenador do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional − PCMSO. Em conformidade com as disposições da NR-7, esta empresa
  • Q190709
  • FCC
  • 2017
  • DPE-RS-Técnico - Segurança do Trabalho
De acordo com a NR-9, o estudo, o desenvolvimento e a implantação de medidas de proteção coletiva preveem a adoção de medidas que são hierarquicamente estabelecidas. Dentre elas, obedecendo a hierarquia estabelecida na norma, as medidas que deverão ser tomadas prioritariamente são as que