QUESTÕES

Total de questões encontradas: 30


  • Q191077
  • FCC
  • 2017
  • DPE-RS-Analista - Comunicação Social
O Decreto n° 7.724/2012, que regulamenta a Lei n° 12.527/2011, que dispõe sobre o acesso à informações, determina que
  • Q191048
  • FCC
  • 2017
  • DPE-RS-Analista - Comunicação Social
2
No início da década de 60 a obra “Cultura de Massas no século XX” defendia o conceito de Indústria Cultural que, até os nossos dias, tem grande influência nos estudos de comunicação de massa. O autor da citada obra e iniciador da denominada “Teoria Culturológica” foi o
  • Q191049
  • FCC
  • 2017
  • DPE-RS-Analista - Comunicação Social
3

Os pesquisadores norte-americanos, na década de 30, tentaram explicar os fenômenos comunicacionais a partir da psicologia behaviorista, considerando que o comportamento dos indivíduos atingidos pela comunicação se dava em termos de estímulo/resposta e estabeleceram uma relação direta entre a exposição às mensagens e o comportamento após a recepção de uma publicidade. A base dessa teoria, construída sobre a possibilidade de manipulação do receptor com a finalidade de persuadi-lo, ficou conhecida como Teoria

  • Q191050
  • FCC
  • 2017
  • DPE-RS-Analista - Comunicação Social
4
Os estudiosos admitem que o Interesse Público deva ser segmentado em Interesse Primário e Interesse Secundário. O primeiro corresponde aos direitos
  • Q191051
  • FCC
  • 2017
  • DPE-RS-Analista - Comunicação Social
5
Dois países da América Latina foram pioneiros em reconhecer, em suas constituições, a Comunicação como um direito humano fundamental: o Equador e a Bolívia. Alguns organismos de âmbito mundial, entretanto, já haviam atribuído essa importância ao papel da Comunicação, entre eles,
  • Q191052
  • FCC
  • 2017
  • DPE-RS-Analista - Comunicação Social
6

Considere hipoteticamente que determinada Vara Cível julgou improcedentes os pedidos de indenização e obrigação de fazer, requeridos pelo ministro X em ação contra o jornalista Y. O ministro X requeria uma indenização financeira e a obrigação do jornalista Y publicar em seu blog o conteúdo da sentença como direito de resposta. O ministro X alegou que a matéria de autoria de jornalista Y teria evidenciado que o Ministro havia tirado conclusões equivocadas, sem embasamento fático, com nítida intenção de atingir sua imagem. No julgamento de mérito, o magistrado da Vara Civel lembrou que os direitos à liberdade de informação e opinião são constitucionais. Afirmou que “não há qualquer conteúdo difamatório na reportagem. O que ocorre é a publicação de uma matéria jornalística que desagrada à parte autora, já que a envolve. A publicação tratou de alguns ministros, não somente do requerente.”

O ministro X pedia indenização por

  • Q191053
  • FCC
  • 2017
  • DPE-RS-Analista - Comunicação Social
7
Considere hipoteticamente que a Defensoria Pública contratou um profissional da área de Relações Públicas para atuar no gerenciamento de crise relacionada à sua atuação em defesa dos cidadãos contra uma autarquia municipal. O profissional contratado tinha entre os seus clientes a Prefeitura Municipal responsável pela autarquia. De acordo com o Código de Ética dos Profissionais de Relações Públicas, de 2001,
  • Q191054
  • FCC
  • 2017
  • DPE-RS-Analista - Comunicação Social
8

De acordo com o Código de Ética dos Profissionais de Propaganda, revisado,

  • Q191055
  • FCC
  • 2017
  • DPE-RS-Analista - Comunicação Social
9

Em novembro de 1983, sob os auspícios da Unesco, reuniram-se em París várias organizações representando mais de 400 mil profissionais de imprensa. A reunião em território francês foi antecedida por uma de caráter consultivo na cidade do México (1980) quando as entidades manifestaram apoio à “Declaração da Unesco de Princípios Fundamentais respeitantes à Contribuição dos Mass Media para o fortalecimento da Paz e Compreensão Internacional, para a Promoção dos Direitos Humanos e para Contrariar o Racismo, Apartheid e Incitamento à Guerra”.

Os Princípios Internacionais da Ética no Jornalismo aprovadas em 1983 reconhecem que

  • Q191056
  • FCC
  • 2017
  • DPE-RS-Analista - Comunicação Social
10
O proprietário de um dos mais importantes jornais do Brasil, ao ser inquirido de como o seu veículo lidava com a responsabilidade social da imprensa, afirmou que a relação jornalismo/responsabilidade social é uma questão de mero cunho acadêmico. Ele entendia o jornal como um negócio, considerando que há um custo que precisa ser coberto. E enumerou as despesas com estrutura, folha de pagamento, compra de insumos, carreiras, cargos etc, atribuindo muita importância à área comercial para cobrir as despesas. Para esse proprietário, a atividade jornalística só pode ser entendida no contexto da Teoria
  • Q191057
  • FCC
  • 2017
  • DPE-RS-Analista - Comunicação Social
11
Para entender como os moradores de uma cidade iriam receber a implementação de um núcleo de defensores públicos, a Defensoria Pública contratou os serviços de um profissional de Relações Públicas que sugeriu a realização de uma pesquisa-ação. A pesquisa-ação
  • Q191058
  • FCC
  • 2017
  • DPE-RS-Analista - Comunicação Social
12

A Associação das Operadoras de Celulares − ACEL e a Associação Brasileira de Concessionárias de Serviço Telefônico Fixo Comutado − ABRAFIX ingressaram no Supremo Tribunal Federal − STF com a Ação Direta de Inconstitucionalidade − ADI 5745, com pedido de liminar, contra norma do Estado do Rio de Janeiro que institui medidas aplicáveis às prestadoras de serviços de telefonia e internet. As entidades argumentam que a norma viola a competência privativa da União para legislar em matéria de telecomunicações.

O texto acima corresponde a um lead de matéria do gênero

  • Q191059
  • FCC
  • 2017
  • DPE-RS-Analista - Comunicação Social
13
Especialistas em Media Training recomendam algumas atitudes e comportamentos que devem ser seguidos pelo porta voz de uma empresa em situação de crise na relação com a imprensa. Levando em consideração os princípios éticos da profissão de jornalista, é prudente que o representante da empresa,
  • Q191060
  • FCC
  • 2017
  • DPE-RS-Analista - Comunicação Social
14

Os especialistas em gestão de crise afirmam que não há um modelo para ser aplicado nas várias situações. Mas oferecem roteiros que devem ser adaptados conforme a crise e a cultura da instituição. O roteiro mais conhecido pelos especialistas recomenda que a Comissão de crise estabeleça oito etapas:

1. Definição do problema;

2. Levantamento de informações relevantes;

3. Centralização da Comunicação;

4. Comunicação tempestiva e frequente;

5. Definir estratégias de mídia;

6. “Pensar” como jornalistas;

7. Falar diretamente com os afetados;

A 8ª Etapa é

  • Q191061
  • FCC
  • 2017
  • DPE-RS-Analista - Comunicação Social
15

Em determinadas ocasiões cabe à Assessoria de Imprensa preparar uma pasta ou envelope que será enviado à redação ou entregue ao jornalista durante uma cobertura, visita, entrevista coletiva ou outro evento de mídia, contendo subsídios (em pen drive, disquete, catálogo, estatísticas, pesquisas, infográficos, bloco de anotações, caneta, produtos etc) sobre o tema para motivar e facilitar o profissional na elaboração de uma pauta ou redação de matéria. Esse material é chamado de